Fale conosco pelo WhatsApp

Cirurgia de estenose de canal lombar

Estrutura óssea da lombar sinalizando em vermelho a estenose.
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Saiba como é realizado o procedimento, quando ele é indicado, quais os cuidados pós-operatórios e os riscos da cirurgia

A estenose do canal lombar é uma condição na qual ocorre uma diminuição do espaço anatômico do canal espinhal (local por onde passam a medula e as raízes nervosas).

Uma das causas que pode levar ao quadro de estenose do canal lombar é a hipertrofia (aumento) das estruturas dos ligamentos, o que leva a uma compressão das estruturas nervosas lombares. No entanto, a causa mais comum das estenoses é a invasão do canal por abaulamentos ou fragmentos de disco intervertebral.

A estenose de canal lombar pode ser congênita — o que é raro — ou adquirida ao longo da vida, sendo mais comum após os 50 anos, pois, na maioria das vezes, ela está relacionada à degeneração crônica, resultando em compressão das raízes nervosas.

Outras causas de estenose secundária incluem:

  • Doenças reumatológicas;
  • Espondilolisteses;
  • Fraturas;
  • Tumores;
  • Em casos raros, doença de Cushing.

A cirurgia de estenose de canal lombar é uma das principais causas de cirurgia da coluna em idosos.

Principais sintomas da estenose de canal lombar

Os sintomas variam conforme o local que está sofrendo compressão. Os sinais mais comuns da estenose de canal lombar são a irradiação de dores para os glúteos, virilhas e pernas. Além disso, o paciente pode sentir dor e desconforto ao ficar em pé, bem como dificuldade ao caminhar curtas distâncias devido a fortes dores nas pernas e nas costas. Não são incomuns os casos em que o paciente precisa se sentar (o que ajuda a amenizar os sintomas) para depois poder voltar a caminhar.

Como na ampla maioria dos casos a doença tem causa degenerativa, esses sinais vão surgindo lentamente e se agravando com o passar do tempo, podendo acometer uma ou ambas as pernas, com intensidade igual ou diferente entre elas.

Diagnóstico e tratamento da estenose de canal lombar

A estenose de canal lombar pode ser diagnosticada com um exame clínico, no qual os sintomas relevantes aparecem em certas posturas da coluna — como, por exemplo, quando o paciente fica em pé.

O paciente pode apresentar ainda sintomas neurológicos, como alterações motoras, sensitivas e de reflexo nas pernas. No entanto, o diagnóstico de estenose de canal só é concluído após realização e constatação da compressão em exames ressonância magnética ou mielotomografia. O médico também pode pedir exames de raio-x para verificar o alinhamento espinopélvico do paciente para auxiliar no planejamento da cirurgia.

O tratamento da estenose de canal lombar, quando de causa degenerativa, inicialmente é feito de maneira conservadora, com repouso e uso de medicamentos anti-inflamatórios, que são indicados na fase aguda da inflamação dos nervos.

Na fase chamada de pós-aguda, recomenda-se a fisioterapia para o fortalecimento da musculatura envolvida, aliada ao uso de medicamentos analgésicos para controle da dor e correções posturais.

Caso a dor ainda persista, é possível utilizar um tratamento intervencionista da dor, que consiste na aplicação de injeções de corticoide para o tratamento da inflamação local.

Porém, em muitos casos, o paciente não responde aos tratamentos mais conservadores, neste cenário o especialista pode indicar a cirurgia de estenose de canal lombar.

O que é a cirurgia de estenose de canal lombar?

O objetivo da cirurgia de estenose de canal lombar é melhorar a qualidade de vida do paciente, diminuindo a dor e déficits neurológicos. O procedimento consiste basicamente na liberação do canal e raízes nervosas por meio da descompressão da região afetada, além da estabilização da coluna, caso seja necessário.

Como é feita a cirurgia de estenose de canal lombar?

A cirurgia de estenose de canal lombar pode ser feita com o uso de técnicas minimamente invasivas, que são realizadas a partir de pequenas incisões e com a utilização de equipamentos específicos que auxiliam a execução da cirurgia.

O procedimento para correção da estenose de canal lombar é feito com anestesia geral e demora, em média, uma hora.

Durante a cirurgia de estenose de canal lombar o cirurgião faz uma pequena incisão na área a ser tratada (cerca de 1 cm), por onde será inserido o instrumento cirúrgico que auxiliará na remoção de pequena parcela do osso (descompressão direta) e dos fragmentos de disco vertebral que estiverem comprimindo as estruturas nervosas.

Em caso de instabilidade vertebral da coluna, a cirurgia de estenose de canal lombar pode ser feita junto com outro procedimento, a artrodese. Trata-se de uma cirurgia que visa conectar permanentemente, por meio de implantes, duas ou mais vértebras para eliminar a movimentação dolorosa local e/ou substituir o disco intervertebral doente ou degenerado. Neste cenário as técnicas de ALIF e LLIF se destacam, pois elas permitem a realização da chamada descompressão indireta, que permite a realização da artrodese e da descompressão em um único procedimento, sem necessidade de cirurgia posterior de remoção de osso.

Cuidados no pós-operatório da cirurgia de estenose de canal lombar

Após a realização da cirurgia de estenose de canal lombar é permitido que o paciente já comece a dar alguns passos depois de algum tempo após finalizado o procedimento.

A alta, na maioria dos casos, é dada 24 horas depois da cirurgia de estenose de canal lombar. O paciente pode deixar o hospital usando uma cinta elástica abdominal para ajudar na estabilização da coluna, mas a utilização é opcional e deve ser discutida com o médico.

O retorno ao trabalho, depois de realizada a cirurgia de estenose de canal lombar, pode ser feito após dez dias. Já a realização de atividades físicas leves demora um pouco mais para ser liberada pelo médico: aproximadamente 45 dias.

Após quatro semanas, em média, o paciente pode dar início às sessões de fisioterapia, que são importantes para a recuperação da cirurgia de estenose de canal lombar para fortalecer a musculatura da região e recuperar a funcionalidade dos membros inferiores.

Quais resultados esperar da cirurgia de estenose de canal lombar?

Após a cirurgia de estenose de canal lombar o paciente consegue retomar sua rotina sem dores e andando normalmente. Em geral, a recuperação mais significativa começa a ocorrer entre um mês e três meses, no entanto é provável que o paciente sinta excelente melhora logo após o procedimento.

Mas é importante ressaltar que os cuidados com a saúde da coluna devem ser mantidos, como o acompanhamento médico e fisioterápico, que auxilia tanto no fortalecimento da musculatura quanto na estabilização da coluna.

Riscos da cirurgia de estenose de canal lombar

O risco de complicações na cirurgia de estenose de canal lombar é considerado baixo. Pacientes que fumam, estão obesos, ou com muitas comorbidades apresentam mais chances de terem alguma complicação, no entanto, mesmo nesses cenários o risco é baixo.

Quando estas surgem, incluem infecção, hematomas, hemorragia, lesões medulares. Lesões nos nervos ou na medula são bastante raras em uma cirurgia de estenose de canal lombar.

Entre em contato para saber mais sobre a cirurgia de estenose de canal lombar e agende uma consulta!

Fontes:

Dr. Rodrigo Amaral

Instituto de Patologia da Coluna

Biblioteca Virtual em Saúde

Conheça mais sobre as principais cirurgias e tratamentos
oferecidos pelo Dr. Rodrigo Amaral, especialista em coluna.

Solicite uma consulta para uma avaliação.

AGENDAR CONSULTA