Fale conosco pelo WhatsApp

Cirurgia de Tumor na Coluna

modelo de coluna vertebral com bisturi demonstrando a Cirurgia de tumor na coluna
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Procedimento é bastante delicado, uma vez que pode envolver estruturas como nervos e medula óssea

A cirurgia de tumor na coluna é um procedimento que visa à remoção parcial ou completa de formações anormais que se desenvolvem dentro da área vertebral, corrigindo deformidades e compressões resultantes da presença da massa tumoral. A indicação para este tipo de intervenção depende diretamente das características do tumor, sendo que o tratamento pode ser combinado com outros métodos, como quimioterapia ou radioterapia.

Por afetar uma área extremamente delicada — muitas vezes envolvendo nervos, medula, ossos e estruturas adjacentes —, a cirurgia de tumor na coluna nem sempre é voltada para a cura da doença. Neste caso, o controle da dor e a preservação da função neurológica do indivíduo podem ser os principais objetivos da operação, promovendo qualidade de vida ao paciente oncológico.

O que são os tumores de coluna?

Os tumores de coluna são caracterizados pelo crescimento anormal e desordenado de células localizadas dentro ou em torno da coluna vertebral, que se se agrupam e formam uma massa sólida que pode levar à compressão ou destruição dos nervos, da medula espinhal ou dos ossos. Essas formações podem ser tanto primárias como secundárias, sendo classificadas de acordo com sua origem.

Os chamados tumores primários são aqueles em que a proliferação celular se inicia na própria coluna, sendo um tipo de alteração mais comum em pacientes jovens e adultos, geralmente apresentando características benignas. Vale lembrar, entretanto, que os tumores benignos de coluna demandam atenção por afetarem uma estrutura essencial para a sustentação e movimentação do corpo, podendo causar sequelas irreversíveis ao paciente.

Os tumores secundários de coluna, por sua vez, são mais frequentes em indivíduos mais velhos e normalmente apresentam características de metástase (quando as células tumorais chegam à corrente sanguínea e se espalham pelo organismo). Isso ocorre porque a coluna é uma estrutura muito vascularizada e que se relaciona diretamente com os sistemas linfático e venoso, sendo altamente suscetível a metástases.

Tumores benignos de coluna

Os tumores benignos, em geral, são formações estáveis, com bordas bem definidas e que apresentam progressão lenta, sem que as células tumorais se infiltrem nos tecidos saudáveis do corpo. Esta não é uma alteração cancerígena e muitas vezes sua existência não representa uma ameaça à saúde e à qualidade de vida do paciente, embora seja recomendado um acompanhamento periódico da doença.

Os tumores benignos mais comuns que afetam a coluna vertebral são:

  • Osteoma osteoide;
  • Osteoblastoma;
  • Osteocondroma;
  • Hemangioma;
  • Cisto de Tarlov;
  • Granuloma eosinofílico;
  • Cisto ósseo aneurismático;
  • Tumor de células gigantes.

Tumores malignos de coluna

Os tumores malignos são cancerosos, agressivos e possuem capacidade de invadir tecidos vizinhos, espalhando-se para outras partes do corpo. É muito raro que uma formação cancerosa na coluna seja primária, e a doença geralmente é resultante de um câncer metastático que se disseminou para as vértebras, causando sintomas de compressão e comprometimento neural.

Os tumores malignos que mais frequentemente acometem a coluna são:

  • Osteosarcoma;
  • Condrossarcoma;
  • Mieloma múltiplo;
  • Sarcoma de Ewing;
  • Cordoma.

Principais sintomas dos tumores de coluna

Os tumores de coluna vertebral podem causar uma ampla variedade de sintomas, dependendo de características como localização, tipo e velocidade de crescimento. Por mais que a dor nas costas seja um sintoma comum entre pacientes com tumor na região, esta é uma manifestação muito frequente em diversas outras doenças degenerativas, não podendo ser apontada como uma condição sugestiva para a presença de um tumor na coluna.

Em geral, os sinais clínicos que sugerem a existência de uma formação tumoral na coluna são:

  • Histórico familiar ou pessoal de qualquer tumor;
  • Dor progressiva, contínua e que não melhora com a realização de tratamentos ortopédicos;
  • Alterações neurológicas, como fraqueza, formigamento e perda de controle urinário e/ou intestinal;
  • Dor noturna que não é aliviada em nenhuma posição e não está associada à prática de esforço físico;
  • Fadiga, cansaço e perda de peso sem explicação;
  • Aparecimento de caroços e manchas na pele;
  • Fatores de risco como tabagismo ou exposição a outros agentes cancerígenos.

O diagnóstico é feito a partir de um exame físico detalhado, associado a exames de imagem.

Quando a cirurgia de tumor na coluna é indicada?

O tratamento para um tumor de coluna depende diretamente das características da alteração — especialmente da sua localização, tamanho e se ele é primário ou metastático, benigno ou maligno. Além disso, devem ser considerados fatores como idade e condições de saúde geral do paciente, bem como prognóstico e evolução da doença. As opções de tratamento incluem cirurgia de tumor na coluna, radioterapia e quimioterapia.

No caso das lesões malignas, há duas possibilidades para conduzir o tratamento: paliativo ou curativo. O tratamento curativo consiste na realização da cirurgia de tumor na coluna, sendo voltado para as lesões malignas operáveis, não disseminadas e com características favoráveis. O procedimento envolve a remoção cirúrgica do máximo da lesão, podendo ser complementado com radioterapia e quimioterapia.

O tratamento paliativo, por sua vez, é reservado para os pacientes que não apresentam condições clínicas de se submeter à cirurgia de tumor na coluna. Nesses casos, as medidas terapêuticas envolvem administração da dor, quimioterapia ou radioterapia para controle da evolução das lesões tumorais e uso de órteses quando necessário.

Em ambos os casos, o acompanhamento clínico do paciente é feito por uma equipe multidisciplinar composta por oncologista, especialista em coluna, cirurgião e outros especialistas — podendo incluir psicólogo, nutricionista e fisioterapeuta, conforme necessidade do paciente. São esses profissionais que, em conjunto, vão avaliar se a cirurgia de tumor na coluna é indicada.

Como é realizada a cirurgia de tumor na coluna?

Existem diferentes técnicas que podem ser utilizadas para a execução de uma cirurgia de tumor na coluna, e a metodologia mais adequada vai depender diretamente das características da lesão e de suas consequências para o organismo do paciente. Dependendo do quadro apresentado, pode ser necessário realizar a descompressão das estruturas nervosas, correção de deformidades e reestabelecimento do equilíbrio corporal.

Para alcançar esses objetivos, podem ser utilizadas técnicas como microcirurgias, reconstrução de estruturas da coluna, uso de fixações e até mesmo cimentações ósseas. Todos esses tipos de cirurgia de tumor na coluna são bastante complexos e delicados, uma vez que lidam com estruturas muito nobres e que podem levar a sequelas neurológicas graves. Por isso, é fundamental que o procedimento seja conduzido por um ortopedista especialista em coluna.

Para saber mais sobre a cirurgia de tumor na coluna e tirar suas dúvidas a respeito deste procedimento, entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Rodrigo Amaral.

Fontes:

Dr. Rodrigo Amaral;

Revista Brasileira de Ortopedia.

Conheça mais sobre as principais cirurgias e tratamentos
oferecidos pelo Dr. Rodrigo Amaral, especialista em coluna.

Solicite uma consulta para uma avaliação.

AGENDAR CONSULTA